Que tipo de profissional eu quero ser?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Que tipo de profissional eu quero ser? Ou melhor, como eu quero ser visto profissionalmente?

O artigo de hoje nós leva a refletir sobre nosso posicionamento profissional, se refere ao que eu almejo para o meu presente e futuro profissional e como estou sendo visto pelos outros.

Para facilitar vamos imaginar o seguinte cenário, fazer uma relação com um filme, mais propriamente com um elenco, essa analogia li no livro de Mentoria Organizacional do escritor Marcus Ronsoni e que me fez compreender de forma mais clara.

Um elenco é composto por protagonistas, coadjuvantes e figurantes, o protagonista na maioria das vezes é interpretado por um ator famoso, com glória, que dá fama ao filme, se as cenas em que o protagonista aparece forem retiradas do ar, provavelmente o filme perde o sentido, perde a graça e fica sem contexto. O coadjuvante também tem um papel importante no filme, mas se apenas trocarmos o ator e não personagem o filme ainda continua com sentido, talvez não fará tanta diferença sobre o resultado final. Por ultimo temos os figurantes, que dão movimento ao filme, mas que se for necessário retirar um ou outro talvez nem seja percebido por quem está assistindo.

Trazendo para o contexto organizacional fica a pergunta: Que tipo de profissional estou sendo e estou demonstrando ser? Eu sou o protagonista que é uma peça fundamental para a minha organização, faço parte dessa estrutura e que a empresa não pode perder, porque além da função importante ainda a executo de forma diferenciada? Ou sou o coadjuvante que tenho uma função importante, mas se for necessário me substituírem desde que sejam mantidas as atividades tudo roda em perfeita harmonia, não fará muita diferença a minha ausência? Ou sou o figurante que quando o orçamento aperta são os primeiros a serem desligados, porque o impacto do trabalho é irrelevante?

Refletir sobre esses aspectos pode nos nortear frente aos desafios que estão sendo propostos em nossas carreiras. E se vale uma dica para sermos protagonistas é entender o conceito da palavra produtividade que tem relação direta com resultados.  Ser produtivo não é estar ocupado a maior parte do tempo, com a agenda lotada correndo de um lado para o outro. Ser produtivo pode ser explicado como produzir mais e com melhor qualidade em um tempo menor, ser comprometido com os planejamentos, saber priorizar tarefas e ter foco em suas atuações. Um colaborador protagonista tem como características resolver problemas, propor soluções, entregar além do descrito em sua função e como consequência deixar um legado por onde passa, sendo um exemplo para os demais colaboradores.