Isolamento social e os reflexos nos sentimentos e emoções

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nunca em tempos anteriores eu ouvi tanto a palavra saúde mental como nesse momento, a impressão que tenho é que só enxergamos a importância de cuidar da nossa saúde mental em momentos tão desafiadores como esse que estamos vivendo.

E pensando nisso quero abordar um aspecto que tenho percebido, o isolamento forçado tem estimulado algumas emoções e sentimentos aversivos, como por exemplo o sentimento de solidão.  E como lidar com essa “solidão”?  O que fazer para que não nos traga maiores prejuízos? Não tenho nenhuma receita, mas algumas reflexões que podem servir de ajuda para aqueles que também tem vivenciado isso.

Quando falamos em solidão muitas vezes nos remetemos ao aspecto físico de ter alguém ao nosso lado, uma equipe, um familiar, um amigo, mas cheguei a uma conclusão nesses dias de isolamento, de que solidão não é só isso, solidão está mais ligado a uma desconexão, posso dizer que seria uma ausência de conexões significativas como ouvi de um colega e que não necessariamente precisam ser físicas. Eu posso estar fisicamente sozinha e me sentido conectada com as pessoas. Significativo nesse contexto quer dizer algo que traga sentido, que seja importante E a maneira que enxergo para minimizar esse “inimigo” é reforçar nossas conexões, retomar contatos que há muito tempo não tínhamos, reforçar aqueles que temos e são tão importantes, e porque não criar novas conexões.

Reconhecer que emoções e sentimentos definidos como “negativos” podem emergir de forma mais intensa nesse momento nos ajuda a entrar em contato com eles e entender que sentir tristeza, raiva e angústia também faz parte, emoções negativas também nos ensinam muito, elas precisam ser acolhidas, entendidas e superadas, assim como momentos de alegria e felicidade  passam os “negativos” também vão passar. Então porque não aproveitar esse momento para aprender algo com isso?